Mto. GIL JARDIM
Diretor Artístico e Regente Titular

Gil Jardim é Diretor Artístico e Regente Titular da Orquestra de Câmara da ECA/USP – OCAM desde 2001. É professor livre docente do Departamento de Música da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, lecionando Regência Orquestral. Entre 2006 e 2009, foi Chefe do Departamento de Música e, nesse período, criou e dirigiu festivais internacionais de grande repercussão no Brasil e no exterior: Festival Ex Toto Corde, Percussivo USP 2008 – Festival Internacional de Percussão Contemporânea e Festival Internacional de Violão Leo Brouwer (I, II, III e IV).

É autor de O estilo Antropofágico de Heitor Villa-Lobos. Entre as suas gravações está o CDVilla-Lobos em Paris, contemplado com o Diapason d’Or e o Prime de Cultura da revista Bravo.

Com versatilidade, desenvolve também um trabalho fortemente marcado pela habilidade em extrair da fusão entre elementos da música étnica e erudita brasileira, resultados de grande expressão artística. Nessa linha de trabalho, destacam-se inúmeros concertos com personalidades musicais como Egberto Gismonti, César Camargo Mariano, Milton Nascimento, Gilberto Gil, Ivan Lins, João Bosco, Naná Vasconcelos, Gianluca Littera, Measha Brueggergosman, entre outros.

Entre os grupos brasileiros que já dirigiu estão a Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo (OSM), Orquestra de Câmara da OSESP, Orquestra Experimental de Repertório (OER), Orquestra Sinfônica Petrobras, Orquestra Sinfônica do Teatro Cláudio Santoro (Brasília), entre outras. No exterior, podemos citar Brooklyn Academy of Music Symphony Orchestra (New York, USA), Royal Phillarmonic Concert Orchestra (Londres), Camerata Mexicana, Orquestra Regionalle del Lazio i Roma, Orquestra de Câmara Mayo (Buenos Aires/Argentina), Indianapolis Chamber Orchestra (USA), Orquestra Sinfônica Nacional Juvenil do Peru, Orchestra Haydn de Bolzano Y Trento (Itália), etc.

Em 2013, atuou também como regente convidado da Banda Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo e realizou turnê pela Itália dirigindo a Orchestra Haydn di Bolzano e Trento, tendo Gianluca Littera comosolista.

Em 2014, foi regente convidado da Indianapolis Chamber Orchestra e da Orquestra Sinfônica Nacional Juvenil do Peru. Realizou também a direção musical do espetáculo “Mutações”, do coreógrafo e bailarino Luís Arrieta.

Desde 2012, é membro correspondente da Academia Chilena de Belas Artes no Brasil.