Temporada 2020 Uncategorized

Pai Grande: uma homenagem a Milton Nascimento

19 de dezembro de 2020

A Orquestra Sinfônica da USP – OSUSP e CORALUSP apresentam, como evento de fim de ano, o vídeo-concerto “Pai Grande – Uma homenagem a Milton Nascimento”, que reúne músicas do artista que falam da necessidade de resistência, luta e esperança.
O concerto traz entre seus convidados a Orquestra de Câmara da ECA/USP (OCAM) e os cantores Virgínia Rosa e Tiago Pinheiro.

Com concepção de Gil Jardim e Eduardo Fernandes, direção musical e arranjos para coro e orquestra de Gil Jardim e produção e direção audiovisual da Tilt Rec, o vídeo é uma realização da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária da USP.

Milton Nascimento é uma das poucas unanimidades na música do Brasil. Por sua voz, suas composições e seu jeito de conduzir a carreira. Nessa trajetória, lançou canções que se tornaram verdadeiros ‘hinos’ (Coração de Estudante, Travessia), fez parcerias e foi gravado por grandes nomes da música popular brasileira, possuindo reputação internacional. Mas ele tem sido mais do que isso. É uma espécie de trovador, que além de cantar o amor, canta também as mazelas da vida, provoca e escancara a ferida. Portanto, foi consenso a escolha de Milton para ser o homenageado em um vídeo-concerto da Orquestra Sinfônica da USP e do CORALUSP, com participações da Orquestra de Câmara da ECA/USP, Virgínia Rosa e Tiago Pinheiro.

O projeto – nascido originalmente para ser um grande espetáculo para encerramento da Temporada 2020, presencial na Sala São Paulo, com a presença de todos os organismos musicais da USP – foi concebido pelos maestros Gil Jardim (OCAM) e Eduardo Fernandes (CORALUSP). Para esse audiovisual de pouco mais de 8 minutos, buscou-se a essência da mensagem pretendida. Por isso, Gil Jardim, autor dos arranjos para Coro e Orquestra, escolheu cuidadosamente quatro canções – Milagre dos Peixes, A Sede do Peixe, Credo e Bola de meia, bola de gude. O regente Eduardo Fernandes revela que, com sua maneira intuitiva e espontânea de compor, Milton, nessas quase seis décadas de carreira, quebrou padrões harmônicos, rítmicos e poéticos, deflagrando o movimento Clube da Esquina, em terras de Minas Gerais, fazendo de sua arte um manifesto estético nacional.

O compositor, que iniciou a carreira nos anos 60, teve que se desdobrar para realizar sua música com liberdade, num dos momentos mais dramáticos da história brasileira, o da ditadura militar. Apesar da censura, conseguia fazer ecoar versos como os de Milagre dos Peixes:

Tenho em mim todas as cores

Quando falo coisas reais

E no silêncio dessa natureza

Eu que amo meus amigos

Livre, quero poder dizer

Eu tenho esses peixes e dou de coração

Milton Nascimento e Fernando Brandt

Ou pensar, num momento desafiador, em total sintonia com 2020, que é importante acreditar, como diz os versos que nos fazem ter esperança em dias mais suaves de Credo:

Caminhando pelas ruas de nossa cidade

Acendendo a esperança e apagando a escuridão

Milton Nascimento e Fernando Brandt

De forma não linear, encontramos em Milton, um Beethoven 2020, aquele que nos faz lembrar, como diz o próprio Milton e Fernando Brant, em Bola de meia, bola de gude, que:

Há um menino, há um moleque,

Morando sempre no meu coração,

Toda vez que o adulto balança

Ele vem pra me dar a mão

Milton Nascimento e Fernando Brandt

Pai Grande, nome de uma das composições de Milton, que intitula o vídeo, não está presente, mas diz muito sobre a personalidade do homenageado. Era a maneira como seu querido amigo e parceiro, o percussionista Naná Vasconcelos (1944 – 2016), carinhosamente o chamava.

Milton Nascimento nasceu no Rio de Janeiro, 26 de outubro de 1942, mas tem seu nome associado a Minas Gerais, pois foi onde cresceu e se tornou músico. Nos anos 1960, em Belo Horizonte, conheceu vários músicos e poetas com o quais formou o Clube da Esquina, entre eles Beto Guedes, Fernando Brant e Lô Borges. Destacou-se nos primeiros festivais de música no Rio de Janeiro e São Paulo, e tornou-se um dos maiores nomes da música popular brasileira, com reconhecida carreira internacional e cinco prêmios Grammy na prateleira.

O vídeo Pai Grande – Uma homenagem a Milton Nascimento tem concepção do projeto de GIL JARDIM e EDUARDO FERNANDES; criação e produção audiovisual da TILT REC; direção de arte e captação de imagens de BETO MACEDO; edição e tratamento de imagens de TIAGO BERBARE; roteiro de FLÁVIO VIEIRA; edição final e mixagem do áudio de ADONIAS JUNIOR/ Estúdio Arsis. Apresenta a ORQUESTRA SINFÔNICA DA USP – OSUSP e CORALUSP e os convidados: ORQUESTRA DE CÂMARA DA ECA/ USP – OCAM; os solistas VIRGÍNIA ROSA e TIAGO PINHEIRO e os músicos LUCIANO KHATIB (palmas e cajon); VÍTOR FERREIRA (trompa); RAFAELA LOPES (harpa); RENATO RAUL DOS SANTOS (marimba) e JOÃO GABRIEL GODOY JARDIM (violão). O audiovisual é uma realização da Pró Reitoria de Cultura e Extensão da Universidade de São Paulo.

You Might Also Like